27 de fevereiro de 2009

Cari & Coroa (5)

Olá, amigos d'A Caricatura!

Meu grande amigo Isaias escreveu, como sempre, um texto da maior relevância. Já que trata do carnaval, resolvi postá-lo antes de outros que já estavam na fila.
Ei-lo:



POLITICAMENTE CORRETO

A expressão enquadra, asfixia e engaveta o humor, a crítica, o comentário mais ácido. Politicamente correto é chuchu sem molho. No entanto, ultrapassar limites é correr riscos.

Madrugada de terça de carnaval. Ligo a tevê para ver o indefectível baile gay. Sempre me diverti com o desfile de pessoas engraçadas, exóticas, exageradas em suas fantasias e produções de peitos e bundas de silicone. Os apresentadores (Otávio Mesquita ou Monique Evans) sempre brincaram e tiraram sarro de sacadas hilárias de travestis e assemelhados.

Mas a dupla de apresentadores desse ano, Cristiano Pior e Robaldo Esperman, embora se fizessem de gays, deram um show de deboche, preconceito e homofobia.

Dizem que são sempre assim com seus entrevistados, celebridades ou não. Agridem. Chocam. Ofendem. Desdenham do politicamente correto. Mas, há um limite: se ofendem a um indivíduo, chamando-o de “rolha de poço”, este pode reagir.

Mas, quando a ofensa se dirige a toda uma parcela da população, no caso, os gays e seu variado cardápio de opções sexuais? O que eles fizeram no tal baile, em nome do desprezo ao politicamente correto, foi incentivar a homofobia, acentuar o ódio e o preconceito contra uma parcela da população que merece respeito e estava ali para se encontrar, para brincar o carnaval e se divertir. Direito que todos têm.

Molho demais no chuchu desanda.

Isaias Edson Sidney

2 comentários:

Márcio Diemer disse...

Grande texto!! Mande meus parabéns! É isso ai, pimenta nos olhos dos outros não arde! Coisa do Brasil, e o povo consumindo e adorando...Tsc...tsc...! Abraços amigão!

b disse...

Pegando o bonde do texto de seu amigo, digo que ao sentir o clima desagradável dos apresentadores do baile, mudei de canal.
Travecos, gays, são pessoas necessitadas de aprovação não por serem travecos ou gays, mas por serem pessoas e se se mostram de maneira por vezes exagerada, é porque querem mesmo chamar a atenção , tipo: EU EXISTO.
Em alguma fase da vida, todos nós já fizemos algo prá aparecer e lembrar que existimos.
Ou não?
Obrigada e aproveito p/ convidar ao blog de um amigo:
scorpionsscorpions.blogspot.com