19 de outubro de 2009

A morte e o Riso!

Olá, amigos da Caricatura!

Euripideu Sacarema era desses que não alterava o espírito por nada; era a razão que não baixava armas jamais. Não viera o sujeito ao mundo para brincadeiras. Desde pequerrucho, a carranca fora sua expressão usual, de tal sorte que nada, nem o evento mais fértil em felicidade, o fazia entreabrir a boca para o riso. Ganhou bicicleta e não sorriu; recebeu o primeiro beijo e não sorriu; namorou e não sorriu; casou e não sorriu; ganhou na loteria e não sorriu; teve filhos, netos, bisnetos... e não sorriu!
Aos noventa anos, Euripideu Sacarema esperava a ceifadora visitar o leito de morte. Seus parentes, comovidos, perguntaram o motivo de uma vida de abstinência ao prazer; urgia, naquele instante último, saber a razão de tamanho esforço para nunca ceder mesmo ao ínfimo gracejo.
- Não ri - respondeu o moribundo -, porque não encontrei motivos nesse mundo de tamanho sofrimento e desigualdade.
E morreu, com a habitual máscara de poucos amigos, deixando como herança a culpa cristã que temos interiorizada. A parentalha, perplexa e envergonhada pela falta de compaixão para com as dores alheias, cerrou os olhos em prece à alma do finado.
- Pai nosso que estais nos céus...
Súbito, o inesperado: o corpo sem vida expeliu gases, semelhantes ao punzinho solto, daqueles bem espremidos pelas nádegas, agudinhos, sem pressa para acabar. O riso dos ainda vivos começou tímido ante a solenidade fúnebre; aos poucos ganhou volume e, em uníssono, preencheu até os cantos mais obscuros do quarteirão, anunciando a impotência da morte quando do confronto com o riso. Houve até quem jurasse que o próprio Euripideu Sacarema relaxou o semblante e, depois de morto, assumiu-se cômico e sorriu.

*a caricatura do Dr. da Alegria está no livro de 30 anos da Cooperativa Paulista de Teatro - escrito por Alexandre Mate.

8 comentários:

Beth Cerquinho disse...

...estava passando e adorei seu blog..se me permite vou te seguir..parabéns.
Abraço

JAMES disse...

Muito legal mesmo, hehehe! Parabéns amigo Toni!!!

Paralelos do Cotidiano disse...

fico honrada que você acompanhe o Paralelos!

Parabéns pelo seu trabalho!

Glen Batoca disse...

Oi Toni!
Primeiramente parabéns pelo seu ótimo trabalho!Valeu pela visita pelo seu comentário!Bons traços!
Abração

Waldez disse...

obrigado por sua visita e parabéns pelo seu trabalho, abraços

Niall O loughlin disse...

GreaT work

Barbara disse...

O mais bacana de ser gente é a capacidade de surpreender...até depois do último suspiro.
Último não - penúltimo.
O último foi o peidinho.

sueli aduan disse...

muito legal! eu fiquei à imaginar ( enquanto ia lendo): "esse cara" vai rir, mas como se dará isso?
surpreendente!!!